Goteiras e infiltrações continuam causando transtornos na Câmara

Publicado em: 04 de janeiro de 2018

O telhado do prédio da Câmara Municipal de Cordeirópolis continua sendo o principal problema e um dos desafios do presidente Laerte Lourenço (PMDB).

Goteiras e infiltrações têm obrigado funcionários de vários setores a improvisarem jornais velhos, vassouras, rodos, baldes e outros utensílios para reduzir a água que invade o local em dias de chuva.

Para o presidente da Câmara, esse fato já está se tornando vergonhoso.

"Me sinto envergonhado e um tanto constrangido em trazer essa notícia mais uma vez, pois já foram investidos milhões no prédio, houve interdição no passado e o problema persiste. O caso é que arrumaram alguns pontos, mas o principal não foi resolvido, que é o telhado, portanto, se não arrumar, esses problemas irão sempre existir e podem  causar transtornos aos  funcionários, legisladores e população em geral", destacou o presidente.

Além das infiltrações e goteiras, também há problemas em alguns pontos hidráulicos e elétricos.

O presidente da Câmara juntamente com o departamento jurídico irá tomar as medidas cabíveis para a solução definitiva dos problemas.

Notificação

Em janeiro de 2017, logo após a mudança para o prédio novo, o departamento jurídico notificou a empresa responsável pela fiscalização da reforma do prédio, a Valente Consultoria para reparar as falhas encontradas na execução dos serviços da reforma.

Toda a reforma foi realizada pela Vértice Edificações Eireli - vencedora da licitação e de acordo com o contrato previsto em Lei, há uma garantia de serviço no prazo de cinco anos, sendo assim, o presidente da Casa buscou soluções para reparar os erros.

A Câmara solicitou a empresa que cumprisse o contrato de prestação de serviços de elaboração de projetos de arquitetura, projetos executivos complementares e fiscalização para a reforma e melhoria do prédio.

Após notificação a empresa realizou os reparos, porém, com o passar dos dias os problemas de infiltrações voltaram a causar transtornos.

 

Valores de reforma

As obras iniciaram em julho de 2016 e duraram cinco meses. A reinauguração do prédio foi realizada em dezembro do mesmo ano.  Ao todo foram investidos mais de R$ 1 milhão, considerando os valores do projeto de arquitetura, reforma e aditamento.

Os principais reparos previstos em contrato foram feitos no plenário, piso e forro. Nesse cálculo não foi incluso o sistema de cabeamento da internet e manutenções nos aparelhos de ar condicionado, os quais foram realizados pela nova gestão.


Publicado por: Assessoria Imprensa Câmara Municipal

Cadastre-se e receba notícias em seu email